14/07/2015

Tucanaíra, o Hidromel Brasileiro - feito pelas ASF

Tucanaíra: O Hidromel Brasileiro, típica dos Tembés (tribo historicamente localizada no nordeste da amazônia, hoje no que seria entre o Pará e o Maranhão), produzida a partir de água, mel de nossas abelhas nativas e do saburá, que é basicamente o conjunto de potes de pólen coletados pelas ASF (Abelhas Sem Ferrão). Com todos esses ingredientes diluídos e bem misturados, o mosto era deixado sob o sol por alguns dias (Fermentação espontânea e com leveduras indígenas)  enquanto fermentava, para depois ser coado e colocado em um pote de barro que ficava pendurado sob o teto de uma casa (creio que o termo oca seria mais adequado) enquanto maturava.
Festa Tucanaíra descrita por Lima Figueiredo.

“A FESTA TUCANAÍRA

Eram dezenove horas…

O som estridente das buzinas reúne todos, tal qual o toque do clarim no quartel. Somente as mulheres velhas ficavam dentro de casa.

Guerreiros, velhos, moços e crianças formam uma linha em frente à casa do chefe da tribo, entoando um canto lúgubre. O coro só é interrompido, quando o chefe sai e com as mãos para o ar resmunga uma cantiga bárbara que é de vez em quando interrompida pelo estribilho de todos.

Aproveitam esta música então, para a dança. Os convivas descrevem dois círculos consecutivos tendo o chefe por centro. À medida que vão cantando, o círculo ora gira para a esquerda, ora para a direita. Todos batem forte os pés e a roda continua oscilante. O chefe entoa cantos que é respondido pelo coro com: gê-gê-gê.

De repente a cantoria para, a fim de que as mulheres que haviam ficado dentro de casa cantem. Aproveitam essa ocasião para beber tucanaíra, que é servida em uma cuia e passada de mão em mão. Os homens dançam com seus arcos e alternados com as moças.


Esta festa tinha o nome de penêc (dança em tupi).