28/01/2014

PORQUE REGULARIZAR A PROFISSÃO DE BARTENDER ?

Aproximadamente a 13 meses inicie um Projeto para apoiar a Regularização da Profissão de Bartender.

Fui atrás de um parceiro que tinha um escritório de Advocacia em Goiânia e comecei a trabalhar em um modelo para uma PL (Projeto de Lei).

Encaminhei Cartas de solicitação de Apoio para todos os Senadores e Deputados Federais, inclusive para a Presidência da República.

Criei um Blog, uma comunidade no Facebook e um Abaixo – Assinado  para conseguir divulgar ao máximo o PROJETO.

Infelizmente caminhamos pouco, mas plantamos uma semente de mudança, vencemos a apatia e batemos de frente com a Desorganização do Setor.
Agradeço a todos os bartenders, empresários e parceiros em geral que apoiaram na medida do possível essa LUTA.

Mas depois de alguns esclarecimentos  vamos as dúvidas e questões levantadas nesse período.

A pergunta que mais ouvi nesses últimos meses foi: Porque devemos Regularizar a Profissão de Bartender ?

A Profissão de Bartender existe a décadas no Brasil, e provavelmente deve ser uma das mais antigas que se tem notícia desde a época do Império.
Mas o Brasil é gigantesco, quase um continente com 5 regiões, 27 estados e mais de 5000 municípios.

Segundo dados da Abrasel, o Setor de Bares e Restaurantes é o único segmento que está presente em todas as cidades do Brasil com aproximadamente 1 milhão de estabelecimentos.

Isso já seria mais do que suficiente para justificar a regularização. Mas com um País tão grande e com condições trabalhistas e acesso a leis tão distintas seria plausível que uma LEI EM NÍVEL FEDERAL seja votada e Aprovada no Congresso Nacional. 

Mas ainda a muitos que acreditam em Papai Noel e coelhinho da Páscoa. Porque só assim para acreditar que sem LEIS, algum empresário do setor teria o compromisso de lutar pelos direitos dos seus subordinados. Se com Regras já é COMPLEXO, imagina sem elas ?

A luta pela Profissionalização não é só por salários, vai além. É uma luta por DIGNIDADE e HUMANIZAÇÃO do SETOR. 



MAIS INFORMAÇÕES