04/01/2014

Desembargador Dilermando Motta humilha Garçom



A população natalense foi surpreendida com cenas de abuso de autoridade protagonizadas pelo desembargador Dilermando Mota, bastante conhecido na cidade por atitudes pouco urbanas. É estranho que um magistrado e agente do cumprimento da lei não tenha equilíbrio emocional para se conter em situações de conflitos, diga-se, provocadas por ele.

O que aconteceu na padaria Mercatto neste último domingo foi uma repetição do mesmo fato registrado recentemente numa festa de encerramento de ano letivo de um colégio da cidade. Na oportunidade o desembargador Dilermando Mota destratou uma senhora idosa por ter sido solicitado gentilmente o seu afastamento da frente das pessoas que assistiam o evento. Dilermando estava obstruindo a visão das pessoas no Ginásio de Esportes onde crianças faziam uma apresentação.

A exemplo do que aconteceu na padaria Mercatto, um rapaz presente ao evento saiu em defesa da senhora agredida verbalmente pelo magistrado. Por pouco não houve agressões físicas.

O questionamento agora é o seguinte: como é que um magistrado agente da lei comete seguidos atos de abuso de autoridade e agressões à pessoas indefesas e continua no exercício do cargo? Esse cidadão tem condições de assumir a Corte Eleitoral do Estado e presidir as eleições de 2014?

O CNJ – Conselho Nacional de Justiça deverá ser acionado e agir conforme a lei, punindo um dos integrantes da magistratura que seguidamente comete abuso de autoridade.